Sou antigo? Não, sou Umbanda!

Se fazer preceito no mínimo 24 horas antes de uma gira é ser antigo, então sou antigo!

Se respeitar os pais de santo e não fazer fofocas é ser da Umbanda antiga, então sou da Umbanda antiga.

Se usar uniforme, usar roupas íntimas brancas, não incorporar de camisetas regata, bermudas e roupas apertadas é ser da Umbanda antiga, então eu sou da Umbanda antiga,

Se obedecer as diretrizes de seu sacerdote é ser da Umbanda antiga, então eu sou da Umbanda antiga!

Se respeitar todas as entidades e não fazer da incorporação um Show particular é ser da Umbanda antiga, então eu sou da Umbanda antiga.

Se ser médium e praticar sua mediunidade sem receber dinheiro em troca é ser da Umbanda antiga, então eu sou da Umbanda antiga.

Se não deixar ninguém por a mão em meu Ori de modo ritualístico, é ser da Umbanda antiga, então seu sou da Umbanda antiga.

Comparar um ritual da Umbanda a um corte de cabelo no cabeleireiro é no mínimo falta de bom senso.

Está na hora de dar um basta para as pessoas que dizem que tudo pode e que os dogmas que existem são meras superstições dos antigos.

Se não fosse os nossos mais velhos, não estaríamos trilhando os caminhos de hoje.

O merchandising da Umbanda e do tudo pode, está denegrindo a religião.

Os terreiros estão deixando de ser a casa dos menos favorecidos para dar lugar aos que podem pagar por cursos e mais cursos.

Tanto falamos de outras religiões que estamos fazendo o mesmo, ao invés de cobrar dízimo e oferta, exigimos cursos!

Não sou contra cursos, acredito que quem procura a Umbanda, procura primeiro a Fé, o estudo é consequência!

Sejamos Umbandistas com amor, com bom senso e principalmente com alegria de ser Umbandista.

Vamos abrir as nossa casas para todos! E com quem sabe mais iremos aprender e aos que sabem menos, vamos ensinar. Devemos tomar cuidado com a vil moeda que poderá acabar com a Umbanda.

Sejamos antes de tudo Umbandista pela Fé e pelo Amor!

Assinado um Umbandista que bate cabeça, que pede a benção, que tem fé, que faz preceito, que respeita sua mãe de santo.

Paulo Ludogero

26/03/2017